Esses dias eu estava pensando em criar outro site destes para postar textos contando sessões de RPG que eu mestrei ou joguei. Porém, como eu sou um preguiçoso irrecuperável, estou colocando eles aqui mesmo.

Aí vai o primeiro, falando sobre a primeira sessão de um jogo meio experimental, usando regras de Exalted adaptadas para um cenário moderno.

Exalted Moderno: Sessão 1

Este é um jogo em tempos modernos usando as regras de Exalted. O cenário e as histórias em geral devem combinar uma atmosfera de filme de ação com esquisitices ocultas ao estilo Unknown Armies. Os jogadores começam como pessoas relativamente normais (OK, nem tanto), construídas como Mortais Heróicos.

As histórias se passam em Hong Kong, pelo menos no começo.

Esta primeira sessão aconteceu meio de improviso, e começou porque os jogadores por acaso estavam todos reunidos. Os personagens foram terminados às pressas, e alguns deles ficaram sem nome. A sessão parece ter ido bem, mesmo assim.

Elenco:

Nota: Os nomes com asteriscos são “tapa-buracos”, sendo na verdade ou os apelidos dos jogadores ou os conceitos de personagens. Os nomes dos personagens em si ainda não foram decididos.

Jimmy Lee, um detetive da polícia de Hong Kong, que faz seu trabalho mais por diversão e senso de dever do que pelo salário, já que é o herdeiro de uma fortuna razoável. Ele também é um maníaco por armas de fogo, possuindo uma proficiência mortal com pistolas automáticas, além de uma habilidade considerável como armeiro. Quando sente que a situação vai esquentar, leva oito pistolas consigo (!). Costuma dar nomes de atrizes famosas a suas armas.

Jong Huang, um parasita típico do submundo da ilha. Fofoqueiro compulsivo, transformou sua obsessão em fonte de renda ao tornar-se um “informante profissional”, negociando informações tanto com crimonosos quanto com policials (ou seja, com Jimmy). Se você precisa de alguma coisa, qualquer coisa, ele é o cara.

“Tio” Sam, poderoso executivo e magnata empresarial, de nacionalidade italiana. CEO da Bionator Corporation, uma empresa especializada em pesquisa biotecnológica e produção de energia nuclear que recentemente alcançou as notícias do mundo inteiro, e que tem atraído muita atenção negativa do Greenpeace e de outras organizações similares. Um verme sem escrúpulos que não hesita em passar por cima de questões morais e da verdade em busca de mais lucro, o que possibilitou que ele se tornasse muito amigo de vários figurões do crime organizado, do mundo corporativo e do exército americano. Nas horas vagas, usa seus consideráveis recursos para sair à procura de emoções (leia-se “entrar em fria”) acompanhado de seus dois melhores amigos.

Obi*, computeiro paranóico. Empregado como um pesquisador da Bionator, é amigo de infância de Sam, cujas “aventuras” deixaram seus nervos em um estado bastante precário. Trabalha de casa, criando programas, o que fez com que seu relógio biológico se comportasse como o de um vampiro.

“McGyver”*, outro “amigo do peito” e empregado de Sam. Este engenheiro talentoso é tão maníaco por explosivos quanto Jimmy é por armas, e sempre carrega várias pequenas cargas consigo, usando-as criativamente sempre que necessário (leia-se “o tempo todo”). Seu jogador só ficou disponível mais para o final da sessão, portanto sua participação efetiva aqui foi pequena.

História:

Hong Kong, 23 de janeiro de 2003, 8:00 da manhã. Dentre os nossos intrépidos heróis, aqueles que possuem empregos com horário fixo (Jimmy, Sam e “McGyver”) estão dirigindo-se a seus locais de trabalho. No caso de Sam e do engenheiro, isto é o escritório novinho em folha da Bionator, que acabou de se instalar num brilhante prédio bem no meio do “distrito corporativo” da cidade. Os demais estão simplesmente dormindo.

Às 8:02, o tal prédio explode violentamente, causando pesados danos à vizinhança. Sam estava apreciando as frutas em uma feira próxima (devido à falta de espaço, os habitantes da ilha o usam de forma criativa), e é apenas jogado para trás por uma onda de choque residual. Os demais, não importando o quão distantes do epicentro estivessem, sentiram o chão tremer e escuratam o barulho. Todo o contingente de Jimmy foi acionado, obviamente, e ele consegue chegar lá antes dos colegas ao roubar uma bicicleta para driblar os engarrafamentos. Jong também vai até lá, a procura de informações vendáveis. Os empregados ficam acompanhando tudo pela tevê.

Testemunhas são interrogadas enquanto uma equipe de resgate dos Bombeiros adentra o danificado esqueleto do prédio, que ainda está de pé. Antes que eles possam chegar muito longe, entretanto, a estrutura perde sua integridade e desaba completamente. Pânico geral, agora existe mais gente para resgatar.

No meio de toda aquela baderna, os protagonistas vêem algo estranho. Parece que há um homem que saiu intacto da explosão e do desabamento! Ele está de pé bem no meio dos destroços, onde leva as mãos aos céus e grita com toda a força:

— Os Dez Mil Imortais estão retornando!

Jimmy é o primeiro a reagir a isso, gritando para os bombeiros para que acudam o sujeito. Eles simplesmente olham para os destroços e perguntam “que sujeito?” Jimmy acha aquilo estranho, mas é distraído por Jong, que se esgueirou até ali disfarçado de bombeiro. Quando olha novamente para o centro dos destroços, não há mais ninguém lá. Enquanto isso, Sam, indignado com aquela história toda, liga para Obi pelo celular e exige que ele pesquise sobre os tais Dez Mil Imortais.

Investigando o local da aparição, Jimmy e Jong descobrem que há alguém soterrado bem ali! Com a ajuda dos bombeiros eles conseguem remover um pedaço de parede particularmente grande e descobrir um dos poucos trabalhadores que já estava dentro do prédio quando ele explodiu, ainda vivo! Enquanto os bombeiros carregam a vítima inconsciente para uma ambulância, Jimmy nota que ele está segurando um estranho talismã de jade, uma espécie de amuleto ou moeda grande encrustada com minúsculas jóias dispostas como estrelas e entalhada de forma a mostrar dragões voando pelo céu. O detetive embolsa a moeda para investigações futuras.

O resto do dia é uma confusão de excavações, resgates e entrevistas, ao final dos quais os personagens capotam em suas camas. Exceto por Obi, que madrugada a dentro vai se aprofundando em lugares cada vez mais obscuros da Internet e acaba por descobrir a Cidade Proibida, uma comunidade virtual secreta cuja finalidade é contornar as censuras e proibições do governo chinês, e que portanto é muito freqüentada por criminosos de toda espécie. Lá ele finalmente obtém alguma resposta sobre os Dez Mil Imortais que não tem nada à ver com Highlander: um dos misteriosos usuários da Cidade marca uma reunião em um depósito do porto, para a próxima meia-noite, dizendo que “estas coisas necessitam da cobertura da escuridão”.

Jimmy e Jong se juntam para fazer sua própria investigação. Jong guia o policial até o “consultório” de Vovó Hao, uma especialista em medicina chinesa tradicional que atendia os bordéis da parte ruim de Hong Kong e que tinha alguma chance de saber algo sobre o talismã. Ela explica que discos de jade como aquele são ornamentos taoístas tradicionais, e que as figuras entalhadas em sua superfície são representações do céu contendo profecias específicas. Ela não tinha a mínima idéia do que aquele disco em especial queria dizer, mas notou que ele possuía vários dragões incorporados ao desenho.

Por uma “módica” quantia, ela também informou que um sujeito chamado Tong Pu havia chegado à cidade não fazia muito tempo, e que ele estava atrás de amuletos como aquele. Ele já havia visitado várias pessoas na cidade atrás do objeto, e o boato era de que o sujeito era bem perigoso. Segundo a senhora, ele havia contatado um colecionador particular, um ocultista e um templo taoísta.

Depois disso, os dois se separaram. Jimmy olhou uma quantidade assombrosa de documentos e registros, e descobriu que alguém do prédio havia ligado para a polícia minutos antes da explosão, a partir do escritório de uma companhia de software localizada logo abaixo da Bionator. O sujeito era ninguém menos que o sobrevivente que segurava o amuleto, e consta na gravação que ele disse o seguinte:

— Venham depressa, não há tempo. Eles estão chegando…

A investigação foi interrompida, pois chegara a hora de tomar o depoimento de Sam. Este também havia estado ocupado falando com seus “amiguinhos”, procurando saber quem pagaria mais para ter sua versão dos acontecimentos publicada como laudo oficial da polícia! Ele chega com uma pasta preparada pelos americanos, contendo uma história altamente implausível que implica os norte-coreanos de ter usado uma pequena bomba nuclear para detonar o prédio. Jimmy ri da pasta e a coloca de lado, em seguida tomando o depoimento. É aqui que ele fica sabendo que Sam também viu o sujeito misterioso e escutou seu aviso. Sam também menciona o encontro marcado para aquela noite, e convida o policial a ir junto.

A investigação das pistas da Vovó não é muito produtiva. Logo de cara Jimmy descobre que o colecionador foi achado morto há alguns dias atrás, e que seus pertences foram levados à delegacia. Apenas um dos vários discos de jade que ele possuía foram levados, mas o único detalhe que pode ser deduzido a partir da vitrine vazia que o ladrão deixou para trás é que o talismã roubado era muito maior do que o de Jimmy.

Um pouco depois, Jong acha a loja do ocultista visitado por Tong Pu, e tenta visitá-lo. A porta, porém, está trancada, e ele só consegue uma resposta depois de muito insisitir. O homem está em casa, mas se recusa de forma veemente a receber quem quer que seja. Jong arromba a fechadura e entra assim mesmo, mas é expulso pelo estressado mago armado com uma escopeta. Insistente, ele chama Jimmy, que vai correndo até o local para emprestar alguma legitimidade à invasão.

O ocultista se recusa a abrir a porta mesmo depois ser intimado pelas autoridades, então o detetive chuta a porta e entra, exatamente ao mesmo tempo que o habitante da casa, completamente desesperado, estoura os próprios miolos. É óbvio que algo o havia deixado mortalmente apavorado.

Depois desta nojenta cena, é hora do encontro. O grupo quase inteiro se reúne (inclusive nosso “McGyver”, que começa a jogar nesta hora). A única ausência era Jong, que ficou resolvendo seus próprios negócios e não soube da reunião. Depois de uma leve discussão com o brutamontes na porta, que esperava apenas uma pessoa, eles são revistados e sua entrada é permitida. Nesse ponto Jimmy perdeu 6 das 8 pistolas que carregava em sua pessoa.

Dentro do depósito está ninguém menos que Tong Pu, um sujeito pequeno vestindo roupas chinesas tradicionais. Eu acho que ele não falou o nome a nenhum dos personagens, mas era ele do mesmo jeito. Depois de examinar o grupo e dar uma bronca em Obi por não ter visto que deveria vir sozinho, ele pergunta se todos ali ouviram sobre os Dez Mil Imortais. Após receber a confirmação, manda seus vários capangas matarem o grupo!

Iniciativa é rolada, Jimmy age primeiro com um estupendo 18. As armas que lhe restaram eram duas pistolas minúsculas escondidas nas mangas do casaco presas a armações articuladas (ao estilo de Gunsmith Cats). Cada uma possui apenas um tiro, mas isso não o impede de ferir dois dos quatro bandidos e rolar para perto dos restantes, onde ele os ameaça com as pistolas vazias. Quando eles largam suas armas, ele as pega, mantendo uma e passando a outra para o “McGyver”.

Os capangas feridos ainda tentam um último movimento, mas são peneirados pelos PCs. Os seguranças de Sam, que ficaram fora do depósito, conseguem imobilizar o guarda na porta por tempo suficiente para que ele seja preso por Jimmy, enquanto o próprio Sam vai com “McGyver” até os fundos do depósito, a procura de Tong Pu, que saiu quando a luta começou.

Enquanto exploram o beco escuro e estreito que há entre dois depósitos, eles são atacados por Tong Pu, que havia ficado por ali. O homem está desarmado, mas dá uma surra homérica nos personagens usando alguma espécie de kung-fu. “McGyver”, a essa altura praticamente nocauteado, consegue grudar algumas cargas explosivas em suas costas, mas tudo o que elas fazem é proteger o vilão dos tiros desesperados disparados por Jimmy, que escutou os sons de combate e veio correndo. Tong Pu então tira o casaco e se manda.

Foi aqui que acabou a primeira seção, e os personagens ficaram com mais perguntas do que respostas. A segunda seção ainda não foi marcada, mas eu espero poder postar um relato similar aqui. Antes, será necessário terminar e ajustar os personagens, e entrevistar os jogadores a procura de sugestões.

~ por mestrebira em 26/01/2004.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: